30 de jul de 2017

Trilogia Saints 3 - Elemiah

Sinopse

Sou um dos homens mais assediados do clã Saints. Sou aquele que leva as mulheres aos céus e os homens ao inferno. Minha vida é dar tudo o que sou para proteger o meu clã. Sou um devasso de sorriso fácil que passa a falsa impressão de não levar nada a sério. Isso é o que eu quero que pensem, mas trabalho duro para que tudo seja executado conforme os meus planos. Ser um dos chefes Saints não é uma tarefa para os fracos nem para quem é passional. Luto por aquilo que acredito e ver o meu tempo de liberdade esvair-se entre os meus dedos faz com que eu reaja da pior maneira possível. Rebeleime contra a tal tradição que rege o matrimônio dos chefes Saints. Nasci para ser livre e não um pássaro cativo de uma loira escandalosa que não sai dos meus pensamentos.
Olá! Eu sou a tal loira escandalosa. E nada teria acontecido se esse homem egocêntrico não tivesse cruzado o meu caminho. Homem como ele é o que me fez ser cínica e sarcástica. Não sou nenhuma modelo de passarela e nem exemplo de elegância cinematográfica, sou o que chamam de plus size e
Deus sabe como amo comer. Sou uma italiana de sangue quente que não sabe ficar de boca fechada. Enfim... eu sou Francesca Cordopatri e essa é a minha história de...
Não mesmo! Essa fala é minha: Nós somos os Saints e essa é nossa história de amor.

Resenha

No fechamento dessa trilogia conhecemos Elemiah, o mais descontraído do grupo, que resolveu se rebelar contra o casamento, arranjando uma noiva totalmente desadequada para a vida que ele tem. Nós já fomos introduzidos a nossa mocinha no livro anterior, Francesca é a melhor amiga de Lilly, que por acaso teve um trelelê com Elemiah, que finalmente vem às claras agora.
Vou confessar que minha resenha pode não ser imparcial, pois eu amo histórias com mocinhas fora dos padrões. A forma como a história nos faz sentir como se não só está tudo bem não ter um corpo de super modelo, mas como nosso corpo pode ser o sonho de alguém que nos ama pelo que nós somos, além dos padrões malditos da sociedade, é maravilhoso. Mas vamos voltar ao livro, kkk. Elemiah não quer perder sua liberdade e toma algumas atitudes imaturas com relação a isso, até que os anciões resolvem interferir e arranjar nada mais nada menos que Francesca para ser sua esposa! Claro que Elemiah ficou indignado, pois ela era tudo o que ele não queria como esposa: teimosa, sangue quente e italiana.
Nas primeiras páginas do livro já podemos ver que essa história é uma receita para confusão, ambos se sentem atraídos um pelo outro, mas nenhum quer dar o braço a torcer. Além disso, Francesca pode ter esse exterior forte e bem resolvido, mas como toda mulher ela é sensível e o fato das pessoas a julgarem por causa de seu peso a magoa, no final das contas, principalmente quando isso vem de Elemiah.

“Elemiah ficou em silêncio enquanto a sua acompanhante me
ofendeu em frente a todos. Então, saí de lá humilhada. Meus olhos ardiam, mas eu não choraria. Não ali, não naquela hora.
Lágrimas brotam nos meus olhos e passo a mão para secá-las...”

A dinâmica entre os dois é pesada e difícil, nós conseguimos ver os sentimentos surgindo aos poucos, Francesca os descobre primeiro, mas se fecha e resguarda a si mesma, pois tem medo de se machucar se os demonstrar, afinal Elemiah não demonstra nada além de desejo por ela, apesar de sentir muito mais do que isso. Ao decorrer do tempo, ele a magoa de formas que queremos entrar no livro e dar umas bofetadas na cara dele! Mas também temos momentos em que o casal consegue uma trégua e tudo é muito lindo.

Vejo os olhos da mulher à minha frente suavizarem e lágrimas brotarem. Ela abraça-me e repete a palavra obrigada como se fosse um mantra. Nesse momento, algo aperta dentro de mim e isso incomoda-me. Seco uma lágrima em seu rosto perfeito, e caminhamos em direção à porta.

O casal passa por altos e baixos, temos crises de ciúme, momentos de raiva e desapontamento. Porém, quando a confiança de uma pessoa é quebrada por alguém que se ama, será que o amor será suficiente para reconquistá-la?



Divirtam-se com o final dessa trilogia de machos alfa, com um epílogo maravilhoso!
 

Trilogia Saints 2 - Raziel



Sinopse

Eu sou Raziel Keruvim Saints, sou um dos chefes da tríade Saints. Não sou um cara sociável como Elemiah e nem sedutor como Gabriel, sou aquele que apenas observa e entra em ação
quando necessário. Como agora, tenho menos de trinta dias para apresentar uma esposa ou os meus pais farão isso. Não quero amor! Já o experimentei e fui recompensado com traição e dor. Procuro apenas uma mulher gostosa que foda como uma louca e, em troca, darei um mundo de riqueza e luxo. Mas há Lilly e seu filho Haniel. Por algum motivo inexplicável, eu não me vejo longe da criança e nem de sua mãe. Eu não vou me apaixonar! Por mais que aqueles encantadores olhos azuis me fascinem, sei que no final das contas o que todas procuram é o dinheiro!
Eu sou Lisabeth, mas prefiro que me chamem de Lilly. Fiz um péssimo casamento, fui traída, roubada e abandonada grávida por aquele que me prometeu amor eterno. Por um desses mistérios da vida, o senhor Raziel Saints bateu à minha porta e resgatou-me. O homem é deslumbrante e o que farei se a cada vez que o vejo com o meu filho nos braços meu coração falha uma batida? De jeito nenhum vou me apaixonar por ele, já tive minha lição. Mas o que fazer se me encontro encantada por um homem tão quebrado quanto eu?
Nós somos os Saints e essa é nossa história de amor.


Resenha

No segundo livro da saga dos Saints conhecemos os detalhes da história de Raziel e como isso afetou sua vida. Nosso mocinho é uma pessoa quebrada e torturada pelo passado, por isso desacredita do amor. Lilly também possui cicatrizes na sua alma, mas não se deixa abater pelo passado, que no caso dela vive batendo de volta na porta, pois tem seu bebê para criar e dar todo o amor que ela não teve em seu fatídico casamento.


“-Lágrimas caem dos meus olhos por não poder oferecer nada ao meu filho. Digo a todos que o amor é suficiente, mas eu sei
que não é. Faço tudo o que posso, trabalho sempre que possível, ainda assim não tenho condições de nada! Quantas vezes deixei de comer para dar a ele?

Quando Raziel é designado para cuidar de Lilly, ele não esperava a conexão imediata entre ele e Haniel, filho de Lilly, que por incrível que pareça é muito parecido com ele.
Com o passar dos dias, Lilly e a criança já fazem parte da rotina de Raziel, que acaba desenvolvendo um amor pelo menino, além de uma forte atração pela mocinha da história.
Entre os três livros, Raziel é o mais romântico, apesar de não acreditar mais no amor por causa de uma traição do passado, ele não mede esforços para conquistar Lilly, tentando conhecê-la, saber seus desejos e realizar seus sonhos.

“Em um dado momento, observo Lilly sob arcos de flores coloridas, rindo como uma menina e aquilo mexeu comigo. De repente, canhões de flores explodem sobre nós, tendo, ao fundo, o Coldplay cantando Hymn For The Weekend. Nesse exato momento, encontro os olhos brilhantes de Lisabeth, e meu coração falha uma batida.
Sentimentos confusos e sensações loucas se juntam dentro de mim. É como se eu estivesse em algum lugar longe daqui, onde só existisse nós dois. Como se ela fosse uma miragem no deserto, chamando-me para me perder nela. Em poucos passos, a alcanço e a puxo para os meus braços.
Beijo Lisabeth como se ela fosse a única coisa que eu preciso para respirar.”

Porém, quando o passado de ambos se volta novamente contra eles, será que o amor vencerá?



O livro é bem construído, e como o primeiro também tem uma carga sexual pesada, mas a história é interessante e supera isso, fora o super plus que é a interação entre a criança e Raziel que é muito fofo.




23 de jul de 2017

Trilogia Saints 1 - Gabriel




Sinopse

Muitas pessoas nos consideram anjos, outros acreditam que somos enviados o inferno. Na verdade, nós somos o que quiserem, desde que pague o nosso preço. Não nos importamos com ninguém, o centro do nosso universo, são nossas famílias. Somos descendentes da máfia italiana, fomos criados para assumir um império e programados para passar por cima de quem quer que for para atingir nosso objetivo.
Eu sou Gabriel, presidente da terceira geração do clã Saints. Minha missão de vida é a prosperidade e proteção dos meus. Sou um dos maiores negociadores mundiais, estou sentado acima do bem e do mal que aflige o mundo. Mas minha vida não é fácil e piora quando Micaylah cruza o meu caminho.
Sou Micaylah, assistente do presidente da terceira blá blá blá Saints. Minha missão de vida é infernizar a vida dele, coisa que fazia com muito gosto até o meu chefe cruzar os meus pensamentos, nu. Eu não sei o que aconteceu, mas em um dia eu o detestava e no outro, eu o desejava.
Nós somos os Saints e essa é nossa história de amor.

Resenha

Eis que a sumida (eu kk) resolveu aparecer, depois de meses de reclusão, também conhecido como faculdade.
Confesso para vocês que comecei a ler esse livro sem expectativa nenhuma, achando que ia ser mais do mesmo. Pense numa pessoa surpreendida, eu!
No primeiro livro do clã Saints, temos um vislumbre geral dos homens em forma de pecado da tríade que comanda a porra toda”, Elemiah, o mais descontraído, Raziel, o mais centrado, e Gabriel, o chefe com temperamento explosivo. Todos são lindos e exalam poder e escuridão. Acho que a autora deu uma profundidade razoável para seus personagens, mostrando mais do que a superfície que geralmente vemos em livros de mafiosos.
Nossos protagonistas, Gabriel e Micaylah, se conhecem desde que eram crianças, pois Micaylah ficou como protegida dos pais dele após um suspeito acidente que matou os pais dela, que eram nada mais nada menos do que os chefes da máfia italiana. Micah e Gabe se alfinetam a cada oportunidade, e ela é a única que pode realmente tirá-lo do sério. No fundo, ela sempre teve uma queda por ele, mas tenta se reprimir e não admite isso nem para si mesma, e faz de sua diversão diária infernizar a vida de Gabe. Ele, por outro lado, nunca a olhou dessa forma, ainda mais quando a moça vai trabalhar como sua assistente, com roupas largas e pouco femininas, e usa esse fato para atormentá-la a todo minuto. 


“- Você é um idiota repugnante, Gabriel Saints! Espero que você se engasgue com sua saliva e morra sufocado. Eu, como sua assistente, vou garantir que se debata no chão até perder a consciência e só chamarei o socorro quando tiver certeza que seu coração de gelo parou de bater.”

Enquanto nosso casal trabalha puxando os botões um do outro, conhecemos um pouco da família Saint, suas mães e tias são verdadeiras feras, e o amor que une essa grande família é tão espesso que quase podemos pegá-lo nas mãos.

A trama vai se desenrolando nos dando vislumbres do mistério que persegue Micaylah, vemos como o perigo a persegue e como, aos poucos, Gabriel vai desenvolvendo sentimentos por ela, mesmo que ele não os admita.

“Paro na porta da sala de conferência e volto-me para ela. Analiso seu semblante abatido e o curativo em seu pescoço desperta minha ira. Eu encontrarei o filho da puta que fez isso. Não porque eu goste da minha assistente ou nada assim, mas tudo tem limite, não é? Ferir minha assistente foi um pouco demais. Não que eu me importe... Ótimo! Agora estou com pensamentos redundantes!”

E essa é a parte mais gostosa do livro. O casal vai se apaixonado aos poucos, primeiro a atração, depois o cuidado e a importância na vida um do outro, que desperta um sentimento que eles não sabem o que é, até que finalmente admitem que é amor.

Para dar um toque a mais na história, o livro é repleto de referências musicais, como a que embala nosso casal no primeiro beijo! Pillowtalk de Zayn:

Iremos devagar e em ritmo elevado.
Claro e escuro. Abraça-me com força e delicadeza.
Eu estou vendo a dor, vendo o prazer.
Ninguém além de você, ninguém senão eu. Ninguém, mas nós!Corpos juntos. Eu adoraria abraçá-la, hoje e sempre. Eu adoraria acordar ao seu lado. 



Apesar de ter um apelo sexual forte no livro, a história é envolvente e realmente boa de se ler, ainda mais com o fato de ir mostrando um pouco dos outros personagens, nos fazendo ansiosos para ler a história dos outros integrantes desse grupo.



'