30 de jul de 2017

Trilogia Saints 2 - Raziel



Sinopse

Eu sou Raziel Keruvim Saints, sou um dos chefes da tríade Saints. Não sou um cara sociável como Elemiah e nem sedutor como Gabriel, sou aquele que apenas observa e entra em ação
quando necessário. Como agora, tenho menos de trinta dias para apresentar uma esposa ou os meus pais farão isso. Não quero amor! Já o experimentei e fui recompensado com traição e dor. Procuro apenas uma mulher gostosa que foda como uma louca e, em troca, darei um mundo de riqueza e luxo. Mas há Lilly e seu filho Haniel. Por algum motivo inexplicável, eu não me vejo longe da criança e nem de sua mãe. Eu não vou me apaixonar! Por mais que aqueles encantadores olhos azuis me fascinem, sei que no final das contas o que todas procuram é o dinheiro!
Eu sou Lisabeth, mas prefiro que me chamem de Lilly. Fiz um péssimo casamento, fui traída, roubada e abandonada grávida por aquele que me prometeu amor eterno. Por um desses mistérios da vida, o senhor Raziel Saints bateu à minha porta e resgatou-me. O homem é deslumbrante e o que farei se a cada vez que o vejo com o meu filho nos braços meu coração falha uma batida? De jeito nenhum vou me apaixonar por ele, já tive minha lição. Mas o que fazer se me encontro encantada por um homem tão quebrado quanto eu?
Nós somos os Saints e essa é nossa história de amor.


Resenha

No segundo livro da saga dos Saints conhecemos os detalhes da história de Raziel e como isso afetou sua vida. Nosso mocinho é uma pessoa quebrada e torturada pelo passado, por isso desacredita do amor. Lilly também possui cicatrizes na sua alma, mas não se deixa abater pelo passado, que no caso dela vive batendo de volta na porta, pois tem seu bebê para criar e dar todo o amor que ela não teve em seu fatídico casamento.


“-Lágrimas caem dos meus olhos por não poder oferecer nada ao meu filho. Digo a todos que o amor é suficiente, mas eu sei
que não é. Faço tudo o que posso, trabalho sempre que possível, ainda assim não tenho condições de nada! Quantas vezes deixei de comer para dar a ele?

Quando Raziel é designado para cuidar de Lilly, ele não esperava a conexão imediata entre ele e Haniel, filho de Lilly, que por incrível que pareça é muito parecido com ele.
Com o passar dos dias, Lilly e a criança já fazem parte da rotina de Raziel, que acaba desenvolvendo um amor pelo menino, além de uma forte atração pela mocinha da história.
Entre os três livros, Raziel é o mais romântico, apesar de não acreditar mais no amor por causa de uma traição do passado, ele não mede esforços para conquistar Lilly, tentando conhecê-la, saber seus desejos e realizar seus sonhos.

“Em um dado momento, observo Lilly sob arcos de flores coloridas, rindo como uma menina e aquilo mexeu comigo. De repente, canhões de flores explodem sobre nós, tendo, ao fundo, o Coldplay cantando Hymn For The Weekend. Nesse exato momento, encontro os olhos brilhantes de Lisabeth, e meu coração falha uma batida.
Sentimentos confusos e sensações loucas se juntam dentro de mim. É como se eu estivesse em algum lugar longe daqui, onde só existisse nós dois. Como se ela fosse uma miragem no deserto, chamando-me para me perder nela. Em poucos passos, a alcanço e a puxo para os meus braços.
Beijo Lisabeth como se ela fosse a única coisa que eu preciso para respirar.”

Porém, quando o passado de ambos se volta novamente contra eles, será que o amor vencerá?



O livro é bem construído, e como o primeiro também tem uma carga sexual pesada, mas a história é interessante e supera isso, fora o super plus que é a interação entre a criança e Raziel que é muito fofo.




0 comentários:

Postar um comentário

'